O petróleo digital: Blockchain e Criptomoedas

Ao conhecer o mundo das Criptomoedas você abre uma nova porta da tecnologia que não é fácil de entender no primeiro momento. Uma das primeiras coisas que se ouve falar é o blockchain e como ele está relacionado à mineração de Bitcoin e outas Moedas Digitais.

Blockchain e criptomoedas

Blockchain é a WEB 3.0

A WEB 2.0 é a internet que nos possibilitou a interação online enquanto a WEB 1.0 oferecia conteúdo produzido apenas por empresas, sem a possibilidade de interatividade do usuário. A chamado WEB 3.0 é a internet que pode ler e rastrear informações com base em ações interativas, armazenando dados sobre cadeias de produção, bem como sobre identidades pessoais e preferências individuais. Esse tipo de informação, mantida por empresas que administram as redes interativas, pode ser monetizada e negociada para fins de mercado. Os dados são, portanto, um produto que atualmente é considerado uma espécie de “novo petróleo”.

Blockchain também pode armazenar e ler dados, mas aqui as informações são salvas em blocos conectados ao longo de um sistema complexo descentralizado.

Em vez de pertencerem a Gigantes da Internet, os dados sobre blockchain são mantidos por uma rede de membros de todo o mundo, usando registros criptografados e permitindo que os usuários sejam os proprietários das informações que produzem. Mais do que isso, nos negócios, por exemplo, os sistemas blockchain permitem que os consumidores verifiquem a precedência dos produtos, bem como os vendedores para fornecer informações sobre a cadeia de produção e distribuição de seus produtos. Com um sistema blockchain, as informações sobre a cadeia de produção, envolvendo bens e serviços, ficam disponíveis on-line para as partes consultarem, um procedimento que não é comum nos sistemas de registro habituais.

Embora a tecnologia Blockchain tenha sido criada para operar com Bitcoin, armazenando e validando contratos inteligentes – um protocolo de computador que registra transações confiáveis ​​- a criptografia de mineração é hoje apenas uma aplicação em uma gama de possibilidades oferecida pelos sistemas blockchain. No entanto, com muitas empresas desenvolvendo suas próprias plataformas blockchain, o número de tokens no mercado está crescendo, uma vez que as empresas tendem a criar seus próprios tokens para serem usados ​​em transações nessas “comunidades”.

Essa é a razão pela qual existe um grande número de ativos criptográficos no mercado e por que eles não são permutáveis.

As plataformas Blockchain têm finalidades diferentes, elas pretendem trocar bens e serviços, bem como validar e registrar essas negociações usando os tokens específicos que criaram. Esse processo de validação dos valores trocados é o que chamamos de mineração e o que gera novo dinheiro criptográfico.

Os sistemas Blockchain existem, portanto, com o objetivo de registrar e validar as operações, além de disponibilizá-las on-line para as partes interessadas. Ao validar essas informações, os membros do blockchain recebem taxas, pagas em forma de criptomoeda. Isto significa, em outras palavras, mineração. As moedas criptográficas extraídas neste processo são usadas para negociar bens e serviços com qualquer pessoa que as aceite. Alguns são aceitos somente dentro dos membros da comunidade enquanto outros já atingiram outro nível, espalhando-se para fora dessas comunidades e sendo aceitos em outros lugares, como acontece com o original: Bitcoin.

Bitcoin é o verdadeiro significado de descentralização do dinheiro.

Em termos de criptomoeda, podemos dizer que as comunidades que possuem tecnologia blockchain podem criar seus próprios tokens para fins comerciais, e o blockchain é o sistema por trás dele, armazenando, registrando e disponibilizando dados, enquanto os produtores são capazes de se apropriar de seus dados. Criptomoeda é o resultado desse processo, um valor pago pelos membros que estão disponibilizando essa tecnologia para essa finalidade.

Acompanhe mais nas Redes Sociais:

Facebook fb.com/minerabits
Instagram instagram.com/minerabits
Youtube minerabits.com/youtube
Twitter twitter.com/minerabits

Máquina Mineradora de Bitcoin

Mineração de Bitcoin: como acontece?

Lucros com Mineração de Bitcoin

Entenda como funciona o “garimpo” de moedas virtuais: É como minerar Ouro, só melhor!

A MINERAÇÃO DE BITCOINS

Mineração
Moedas Digitais são como dinheiro (Real, Dólar, Euro), mas não podem ser impressas e/ou distribuídas no mercado por um governo ou empresa. Uma moeda digital para ser conquistada, deve ser “minerada” (analogia à extração do ouro) por uma rede de computadores superpotentes. Atualmente é impossível minerar sozinho, com um computador em casa, devido ao alto custo do equipamento e o alto consumo de energia elétrica dos supercomputadores.

Decodificação
A cada 10 minutos, complexos problemas matemáticos são lançados no sistema do Bitcoin. A primeira máquina que decifrar esse cálculo recebe como recompensa 12,5 novos Bitcoins. No próprio software do Bitcoin, existe uma regra que, a cada 4 anos essa recompensa diminui pela metade. Em 2012, eram 25 Bitcoins distribuídos por cada problema decifrado. Em 2016 foi para 12,5 por bloco decifrado e em 2020, já é certo que o valor vai reduzir para 6,25 Bitcoins.

O SISTEMA BITCOIN

Dificuldade de mineração
Para conservar a dificuldade da criptografia, o sistema registra o tempo que a máquina vencedora levou para decifrar o enigma e calcula, automaticamente, a dificuldade das próximas operações. A estratégia busca manter o tempo de dez minutos para o lançamento dos novos códigos.

Competitividade
Quanto melhores o sistemas participantes (pools), quanto mais tecnologia tiver nas máquinas, mais rápidos decifram a criptografia e, por consequência, mais competitivo e qualificado se torna o processo de mineração.

VANTAGENS E DESVANTAGENS

Máquina Mineradora de BitcoinDescentralização
Dinheiro = Centralizado. Bitcoin = Descentralizado.
É a primeira rede financeira descentralizada em que todos os computadores ligados ao sistema contribuem automaticamente para mantê-lo ativo e funcional.

Taxas menores
A moeda Bitcoin serve para compras na internet ou em lojas físicas, mas também pode revolucionar o mercado de transferências monetárias, principalmente, as de alto valor. Enquanto, a taxa de operações de DOC ou TED cobrada pelos bancos tem valor médio de R$ 15,00 as transações por Bitcoins tem custo médio de R$ 0,20.

Riscos
Moedas Digitais ainda são vista por muitos como uma mercadoria de troca de produtos e serviços e não como moeda. Valorizações recentes do Bitcoin, Ethereum, Litecoin, Zcash, Dash e Iota fizeram o mercado de mineração crescer, mas por ter cotações voláteis, investimentos no setor podem render ganhos ou perdas futuras. Recomendamos procurar uma mineradora séria, e que você conheça e confia para efetuar todo trabalho de compra de maquinas, gerenciamento e manutenção das ASICs em locais onde possa maximizar lucros e minimizar riscos.

Ganhos
Acesse https://www.youtube.com/watch?v=XkYnunLjYlM e conheça a mineração compartilhada de Bitcoins, que permite pessoas comuns comprarem poder de mineração (HPM) de máquinas superpotentes, em troca irão receber lucros sobre o valor dos contratos de mineração adquiridos.

O FMI acredita no uso das criptomoedas em larga escala

Bitcoin e mercado de criptomoedas

Christine Lagarde, diretora do FMI, postou recentemente no site oficial da organização para tratar sobre criptomoedas. Ela reafirma o que já evidenciou no passado: os benefícios dos criptoativos para a economia global. Ao mesmo tempo, Christine entende que é preciso olhar para o “lado negro” dos criptoativos e realizar ações para o combate de fraudes e lavagem de dinheiro.

Nos últimos tempo, a visão do FMI vem mudando e a instituição entende que as criptomoedas não oferecem grandes riscos à economia no estágio atual e que os governos devem trabalhar em ferramentas regulatórias que permitam o desenvolvimento saudável desse ecossistema.

Em pronunciamentos que ela realizou anteriormente disse que “olhou para o lado sombrio dos ativos de criptografia, incluindo seu uso potencial para lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo”, agora Lagarde passou a dizer:
“Eu quero examinar a promessa que eles (cryptocurrencies) oferecem. Um olhar criterioso sobre os recursos de criptografia não deve nos levar a nenhuma condenação por criptografia nem a uma criptografia de euforia.

Ela reconheceu as muitas criptomoedas em circulação e disse: “parece inevitável que muitos não sobrevivam ao processo de destruição criativa”. Segundo Coinmarketcap, existem atualmente 1.568 criptomoedas.

“Os ativos criptográficos que sobrevivem podem ter um impacto significativo na forma como economizamos, investimos e pagamos nossas contas”, acredita a diretora do FMI. “É por isso que os formuladores de políticas devem manter a mente aberta e trabalhar em direção a uma estrutura regulatória imparcial que minimize os riscos e, ao mesmo tempo, permita que o processo criativo dê frutos”.

O primeiro benefício que Lagarde apontou

Os ativos de criptografia permitem transações financeiras rápidas e baratas, enquanto oferecem algumas das conveniências do dinheiro.
Ela enfatizou que “alguns serviços de pagamento agora fazem transferências internacionais em questão de horas, não dias”, acrescentando que “se os ativos criptográficos emitidos de forma privada permanecerem arriscados e instáveis, pode haver demanda para os bancos centrais fornecerem formas digitais de dinheiro”.

Nenhum perigo imediato

Sobre a estabilidade financeira, Lagarde revelou: “Nossa avaliação preliminar é que, dada a sua pegada ainda pequena e ligações limitadas com o resto do sistema financeiro, os ativos criptográficos não representam um perigo imediato”. No entanto, a chefe do FMI pede reguladores. manter-se vigilante quanto ao potencial das criptomoedas “para ampliar os riscos de negociação altamente alavancada e para aumentar a transmissão de choques econômicos, caso eles se tornem mais integrados aos produtos financeiros tradicionais”. Ela também descreveu:

Além disso, os bancos e outras instituições financeiras enfrentarão desafios para seus modelos de negócios, caso haja uma mudança em grande escala das moedas emitidas pelo governo para ativos de criptografia. Os reguladores podem achar mais difícil garantir a estabilidade de um sistema financeiro mais difuso e descentralizado. Os bancos centrais podem ter mais dificuldade em atuar como emprestador de última instância em caso de crise.

Fonte: news.bitcoin.com

Livro: CriptoMoedas, melhor que Dinheiro!

Livro: Criptomoedas melhor que dinheiro!A grande valorização de algumas moedas digitais ativou a curiosidade de pessoas que até então não sabiam que era possível investir em criptomoedas.

Aos poucos a mídia em geral está divulgando e incentivando o interesse das pessoas pelo tema, mas inda percebemos que a falta de conhecimento sobre quais são as oportunidades existem com as criptomoedas.

Se você ainda tem dúvidas ou possui alguma resistência à essa inovação, prepare-se para aprender tudo e se surpreender com o livro “Criptomoedas – Melhor que Dinheiro

O livro é uma leitura fácil, aonde especialistas de criptomoedas da Empiricus trazem informações para você sair do senso comum e ir em busca do que realmente é essa tecnologia disruptiva.

Acredite, você vai ter que rever todos os conceitos formulados até agora a respeito do assunto, pois ao longo das páginas, você entenderá como surgiram as moedas digitais e o que de fato elas representam na sociedade atual.

O objetivo do livro prepará-lo para tomar decisões seguras e mais embasadas em relação ao que já se provou ser um dos investimentos de maior potencial lucrativo do mercado financeiro.

Quais os assuntos do livro?

Você entenderá o sucesso das moedas digitais e também verá que no longo prazo quais são as outras classes de ativos em criptomoedas que podem assumir papéis muito além do mercado financeiro.

Além disso esses assuntos são abordados no livro:

  • Como melhor selecionar os ativos antes de comprá-los;
  • Por que moeda digital é melhor que dinheiro;
  • Blockchain: a tecnologia disruptiva que vai mudar o mundo;
  • Além do dinheiro: o universo das outras criptomoedas;
  • Seu guia prático: como comprar e estratégias de investimento em criptomoedas.

Esse é o primeiro livro brasileiro de Criptomoedas, elaborado por especialistas e analistas André Franco e Vinícius Bazan da Empiricus.

Para adquirir seu exemplar, você só precisará arcar com o valor R$ 9,90 para as despesas de envio até sua casa.

Esta é uma obra exclusiva da Empiricus, não comercializada em nenhuma livraria.

Empiricus Research
Empiricus é uma casa independente de análise e consultoria de investimentos. Fornecemos recomendações amparadas em estudos financeiros e econômicos, privilegiando a linguagem simples e direta.

15 motivos para usar Bitcoins

Motivos para usar Bitcoin e Criptomoedas

Você já usa Bitcoin?
Veja os motivos para você começar a Investir e Usar Bitcoin e outras Criptomoedas:

  1. As transações são mais rápidas que outros meios digitais;
  2. As transações são mais baratas do que pagamentos que exigem a intermediação de bancos ou de operadoras de cartão de crédito;
  3. Você mantém os seus próprios Bitcoins, sem precisar confiar em bancos ou governos;
  4. Você garante a sua privacidade dos seus dados pessoais;
  5. Criminosos não tem como roubar as suas informações de pagamento;
  6. Não é uma moeda inflacionária, portanto ela valoriza com o tempo;
  7. Você não precisa confiar em governos ou bancos para que o sistema dê certo;
  8. A segurança da rede é feita pelo poder computacional dos mineradores e pelo registro público Blockchain. É impossível hackear o sistema e é fácil de verificar se ele está funcionando 24h por dia;
  9. Cada vez mais pessoas estão usando, aumentando a valorização e o efeito libertador de rede;
  10. É possível criar uma carteira de Bitcoins sozinho e em poucos segundos, sem precisar entregar suas informações para desconhecidos;
  11. A cada dia que passa, a procura pelo Bitcoin aumenta;
  12. De acordo com o Google Trends, o aumento da quantidade de pesquisas relacionadas com Bitcoins é constante. Da mesma forma, a base de usuários dobra a cada 12 meses;
  13. Já existem 1084 caixas automáticos de Bitcoins no mundo e em 56 países diferentes, mais do que o dobro do que havia no começo de 2016;
  14. Brasil é o 4º maior mercado de Bitcoin do mundo em volume negociado, o negócio está acontecendo, se você ainda não tem Bitcoin, em breve vai ter;
  15. É provável que, a menos que ocorra algum evento extraordinário, a moeda continue sendo adotada cada vez mais nos próximos anos, seja para comércio, especulação ou reserva de valor.
  16. (BÔNUS) Países como Alemanha, Austrália e Japão já reconheceram o Bitcoin como meio de pagamento oficial, assim como dinheiro e cartões de crédito/débito.

Ranking das 12 criptomoedas para não investir

Piores criptomoedas para investirA agência independente norte-americana Weiss Ratings classificou as principais moedas digitais, criando um ranking de criptomoedas para destacar a potência e confiabilidade das ofertas existentes no mercado digital.

Segundo publicação da Weiss, os investidores devem ter cuidado com as moedas digitais: os investimentos devem ser baixos. Por mais promissoras e propostas revolucionárias que uma moeda pode ser, as chances de surgir uma “Nova Bitcoin” ainda são baixas.

Para classificar o “potencial” das criptomoedas, foram atribuídas notas de A até E, sendo “A” muito forte e “E” muito fraco. Segue abaixo o ranking das 10 piores criptomoedas para você investir, segundo a Agência de Risco Weiss Ratings:

Os 12 piores investimentos em criptomoedas (2018 Q1) em ordem decrescente

  • Auraracoin (D-)
  • Gulden (D-)
  • PotCoin (D-)
  • Rise (D-)
  • Electroneum (E+)
  • Expanse (E)
  • Novacoin (E)
  • Matchpool (E)
  • Quark (E-)
  • SaluS (E-)
  • Magacoin (E-)
  • Comet (E-)

Uma informação importante de lembrar é que a Weiss não lista todas as criptomoedas, logo, essa lista representa as mais fracas dentro das que eles avaliam.

Em janeiro, quando a agência iniciou as primeiras classificações, o Bitcoin recebeu nota C+, ficando atrás de 6 outras criptomoedas, que receberam B+ e B-. Nenhuma recebeu A na época.

Nesta última avaliação, entretanto, o Bitcoin subiu de C+ para B-, embora continue atrás de algumas criptomoedas, como a NEO, por exemplo, que é a única da lista com nota A.

A lista completa do Rankink das melhores e piores moedas digitais é divulgado apenas para assinantes dos relatórios da agência Weiss Ratings.

Acompanhe nossas publicações e em breve estaremos divulgando o Ranking atualizado das piores criptomoedas para investimentos.

Mineração de Bitcoin é pirâmide?

Mineração de Bitcoin e Altcoins

O Bitcoin é dinheiro, assim como o Real, Dólar Euro, etc… e atualmente já é reconhecido como meio de pagamento em vários países, podendo ser usado como moeda de troca para entrar em esquemas fraudulentos. O problema não está no Bitcoin, mas nas pessoas e empresas desonestas que buscam obter vantagens diante da falta de informação das pessoas

No passado, o VOIP (na TelexFree) e o armazenamento em Cloud (Eternyon, Wings Network, etc) foram usados em esquemas PONZI (pirâmide financeira), mas isso não significa que todos os serviços de VOIP ou Cloud são esquema fraudulentos. O problema está na promessa de ficar rico sem precisar fazer nada ou somente recrutando novos investidores, sem entregar algo de valor e que possa ser usado de forma real no dia a dia.

Com o passar dos anos novas tecnologias vão surgindo e os esquemas fique rico rápido vão se inovando também. A maior parte aceita Bitcoins ou inventa mentiras, como por exemplo, dizer que fazem trading, outros falam que usam mineração de Bitcoins. Em alguns casos inventam uma criptomoeda que não tem valor no mercado ou que não existe.

Os novos Esquemas Ponzi ou Esquemas em Pirâmide estão se aproveitando de algumas das vantagens do Bitcoin, como o anonimato, para enganar as vítimas e promovendo fraudes. Torna-se muito mais difícil para as autoridades e a probabilidade das vítimas recuperarem o dinheiro é nula.

Devido ao sucesso do Bitcoin nos últimos anos, além da possibilidade de usar para comprar praticamente qualquer coisa, ele está sendo amplamente usado por investidores para obter lucros com sua valorização. Cada Bitcoin vale uma pequena fortuna e por isso, facilitando atrair vítimas em esquemas de fique rico rápido, interessadas em ganhar dinheiro online a qualquer custo, mesmo sabendo que estarão prejudicando outras pessoas.

O Bitcoin NÂO É FRAUDE, é uma criptomoeda reconhecida por vários países. No entanto, prometer duplicar ou triplicar o dinheiro, sem haver uma maneira real de conseguir isso, pode ser uma possível fraude.

A Mineração de Bitcoin também NÃO É FRAUDE, trata-se de uma atividade legal e muito lucrativa, principalmente em países aonde a energia elétrica é barata como na China, Irlanda e no Paraguai. Já no Brasil, fazer mineração de criptomoedas como o Bitcoin não é tão vantajoso e lucrativo, o alto custo da energia elétrica e as altas taxas de impostos sobre os equipamentos de mineração tornam a atividade inviável em nosso país.

Para aproveitar a oportunidade de mineração de Bitcoin, brasileiros estão montando FARMS (fazendas de mineração) de criptomoedas no Paraguai, aonde a atividade é bastante lucrativa e incentivada pelo governo local. Veja no vídeo abaixo:

Ver no YouTube https://youtu.be/rOpC08-Aams

Para expandir os seus negócios as Mineradora de Bitcoin vendem contratos de mineração. Esses contratos de mineração são locação de máquinas ou fração (Mineração Compartilhada) de HASH POWER (poder de mineração), que geram lucros minerando vários tipos de criptomoedas. Após um determinado período, o investidor recebe o rendimento dessa mineração, pagando somente uma taxa de manutenção do equipamento e energia elétrica consumida.

Os contratos de mineração são muito lucrativo para as Mineradoras de Bitcoin, pois ao vender um contrato elas já pagam o custo do equipamento e após terminar o contrato o cliente ele pode renovar o mesmo, agora com a máquina já paga os lucros são maiores, sendo assim, uma atividade muito lucrativa ao médio e longo prazo para os donos de Mineradoras de Criptomoedas.

Quando for investir em contratos de Mineração de Bitcoin ou Mineração Compartilhada, sempre busque informação com pessoas conhecidas (amigos de confiança, familiares) que já conhecem o mercado e idoneidade de empresas sérias. Todo o cuidado é pouco, porque atualmente é muito fácil criar uma fraude com Bitcoins, bastam alguns minutos na internet para encontrar vários esquemas.