Livro: CriptoMoedas, melhor que Dinheiro!

Livro: Criptomoedas melhor que dinheiro!A grande valorização de algumas moedas digitais ativou a curiosidade de pessoas que até então não sabiam que era possível investir em criptomoedas.

Aos poucos a mídia em geral está divulgando e incentivando o interesse das pessoas pelo tema, mas inda percebemos que a falta de conhecimento sobre quais são as oportunidades existem com as criptomoedas.

Se você ainda tem dúvidas ou possui alguma resistência à essa inovação, prepare-se para aprender tudo e se surpreender com o livro “Criptomoedas – Melhor que Dinheiro

O livro é uma leitura fácil, aonde especialistas de criptomoedas da Empiricus trazem informações para você sair do senso comum e ir em busca do que realmente é essa tecnologia disruptiva.

Acredite, você vai ter que rever todos os conceitos formulados até agora a respeito do assunto, pois ao longo das páginas, você entenderá como surgiram as moedas digitais e o que de fato elas representam na sociedade atual.

O objetivo do livro prepará-lo para tomar decisões seguras e mais embasadas em relação ao que já se provou ser um dos investimentos de maior potencial lucrativo do mercado financeiro.

Quais os assuntos do livro?

Você entenderá o sucesso das moedas digitais e também verá que no longo prazo quais são as outras classes de ativos em criptomoedas que podem assumir papéis muito além do mercado financeiro.

Além disso esses assuntos são abordados no livro:

  • Como melhor selecionar os ativos antes de comprá-los;
  • Por que moeda digital é melhor que dinheiro;
  • Blockchain: a tecnologia disruptiva que vai mudar o mundo;
  • Além do dinheiro: o universo das outras criptomoedas;
  • Seu guia prático: como comprar e estratégias de investimento em criptomoedas.

Esse é o primeiro livro brasileiro de Criptomoedas, elaborado por especialistas e analistas André Franco e Vinícius Bazan da Empiricus.

Para adquirir seu exemplar, você só precisará arcar com o valor R$ 9,90 para as despesas de envio até sua casa.

Esta é uma obra exclusiva da Empiricus, não comercializada em nenhuma livraria.

Empiricus Research
Empiricus é uma casa independente de análise e consultoria de investimentos. Fornecemos recomendações amparadas em estudos financeiros e econômicos, privilegiando a linguagem simples e direta.

coinBR agora é Stratum

Stratum CoinBR - Exchange para comprar e vender Bitcoin no BrasilEm 2018 a coinBR realizou a fusão junto à Stratum, um fundo de venture capital com sede em Hong Kong. A mudança visa ampliar internacionalmente os serviços prestados pela empresa.

A partir da noite desta terça-feira (3), o site da coinBR terá outro domínio, a plataforma coinbr.io & coinbr.net será migrado para stratum.hk.

Portanto, todos os acessos aos links coinBR serão redirecionados para o nosso novo domínio.

Não se preocupe! A SmartWallet, assim como demais funcionalidades, continuarão operando da mesma forma. A mudança é somente no endereço.

Fique atento: em breve serão lançadas mais novidades!

15 motivos para usar Bitcoins

Motivos para usar Bitcoin e Criptomoedas

Você já usa Bitcoin?
Veja os motivos para você começar a Investir e Usar Bitcoin e outras Criptomoedas:

  1. As transações são mais rápidas que outros meios digitais;
  2. As transações são mais baratas do que pagamentos que exigem a intermediação de bancos ou de operadoras de cartão de crédito;
  3. Você mantém os seus próprios Bitcoins, sem precisar confiar em bancos ou governos;
  4. Você garante a sua privacidade dos seus dados pessoais;
  5. Criminosos não tem como roubar as suas informações de pagamento;
  6. Não é uma moeda inflacionária, portanto ela valoriza com o tempo;
  7. Você não precisa confiar em governos ou bancos para que o sistema dê certo;
  8. A segurança da rede é feita pelo poder computacional dos mineradores e pelo registro público Blockchain. É impossível hackear o sistema e é fácil de verificar se ele está funcionando 24h por dia;
  9. Cada vez mais pessoas estão usando, aumentando a valorização e o efeito libertador de rede;
  10. É possível criar uma carteira de Bitcoins sozinho e em poucos segundos, sem precisar entregar suas informações para desconhecidos;
  11. A cada dia que passa, a procura pelo Bitcoin aumenta;
  12. De acordo com o Google Trends, o aumento da quantidade de pesquisas relacionadas com Bitcoins é constante. Da mesma forma, a base de usuários dobra a cada 12 meses;
  13. Já existem 1084 caixas automáticos de Bitcoins no mundo e em 56 países diferentes, mais do que o dobro do que havia no começo de 2016;
  14. Brasil é o 4º maior mercado de Bitcoin do mundo em volume negociado, o negócio está acontecendo, se você ainda não tem Bitcoin, em breve vai ter;
  15. É provável que, a menos que ocorra algum evento extraordinário, a moeda continue sendo adotada cada vez mais nos próximos anos, seja para comércio, especulação ou reserva de valor.
  16. (BÔNUS) Países como Alemanha, Austrália e Japão já reconheceram o Bitcoin como meio de pagamento oficial, assim como dinheiro e cartões de crédito/débito.

Reportagem no Fantástico sobre Bitcoins 25/03/2018

Vídeo Bitcoin Fantástico - 25/03/2018Já vai se acostumando, pois em breve quando você fazer uma comprar o caixa vai perguntar: Gostaria de pagar com Dinheiro, Cartão ou Criptomoeda?

Matéria apresentada pelo Fantástico no domingo, dia 25 de março de 2018, falou novamente sobre o Bitcoin e Criptomoedas. Algo que só era difundido pelos mais íntimos de tecnologia e internet, agora está se popularizando e você vai ter um carteira de Bitcoins e outras Criptomoedas muito em breve.

A moeda que valorizou mais de 1500% só em 2017 está fazendo uma revolução no setor financeiro, pois o Bitcoin também é dinheiro, assim como o real ou o dólar. A principal diferença é que não tem banco central ou governo ligados ao Bitcoin e que é 100% virtual, ou seja, só tem um jeito de comprar, vender e transferir: pela internet.

Confira o vídeo com a matéria completa

Quer saber mais como Investir e Lucrar com Bitcoins? Assista ao vídeo abaixo

Gostei! Quero começar a Inverstir! Pode me ajudar?
Sim! Clica aqui e te explico mais via chat no Whatsapp.

Ranking das 12 criptomoedas para não investir

Piores criptomoedas para investirA agência independente norte-americana Weiss Ratings classificou as principais moedas digitais, criando um ranking de criptomoedas para destacar a potência e confiabilidade das ofertas existentes no mercado digital.

Segundo publicação da Weiss, os investidores devem ter cuidado com as moedas digitais: os investimentos devem ser baixos. Por mais promissoras e propostas revolucionárias que uma moeda pode ser, as chances de surgir uma “Nova Bitcoin” ainda são baixas.

Para classificar o “potencial” das criptomoedas, foram atribuídas notas de A até E, sendo “A” muito forte e “E” muito fraco. Segue abaixo o ranking das 10 piores criptomoedas para você investir, segundo a Agência de Risco Weiss Ratings:

Os 12 piores investimentos em criptomoedas (2018 Q1) em ordem decrescente

  • Auraracoin (D-)
  • Gulden (D-)
  • PotCoin (D-)
  • Rise (D-)
  • Electroneum (E+)
  • Expanse (E)
  • Novacoin (E)
  • Matchpool (E)
  • Quark (E-)
  • SaluS (E-)
  • Magacoin (E-)
  • Comet (E-)

Uma informação importante de lembrar é que a Weiss não lista todas as criptomoedas, logo, essa lista representa as mais fracas dentro das que eles avaliam.

Em janeiro, quando a agência iniciou as primeiras classificações, o Bitcoin recebeu nota C+, ficando atrás de 6 outras criptomoedas, que receberam B+ e B-. Nenhuma recebeu A na época.

Nesta última avaliação, entretanto, o Bitcoin subiu de C+ para B-, embora continue atrás de algumas criptomoedas, como a NEO, por exemplo, que é a única da lista com nota A.

A lista completa do Rankink das melhores e piores moedas digitais é divulgado apenas para assinantes dos relatórios da agência Weiss Ratings.

Acompanhe nossas publicações e em breve estaremos divulgando o Ranking atualizado das piores criptomoedas para investimentos.

Mineração de Bitcoin é pirâmide?

Mineração de Bitcoin e Altcoins

O Bitcoin é dinheiro, assim como o Real, Dólar Euro, etc… e atualmente já é reconhecido como meio de pagamento em vários países, podendo ser usado como moeda de troca para entrar em esquemas fraudulentos. O problema não está no Bitcoin, mas nas pessoas e empresas desonestas que buscam obter vantagens diante da falta de informação das pessoas

No passado, o VOIP (na TelexFree) e o armazenamento em Cloud (Eternyon, Wings Network, etc) foram usados em esquemas PONZI (pirâmide financeira), mas isso não significa que todos os serviços de VOIP ou Cloud são esquema fraudulentos. O problema está na promessa de ficar rico sem precisar fazer nada ou somente recrutando novos investidores, sem entregar algo de valor e que possa ser usado de forma real no dia a dia.

Com o passar dos anos novas tecnologias vão surgindo e os esquemas fique rico rápido vão se inovando também. A maior parte aceita Bitcoins ou inventa mentiras, como por exemplo, dizer que fazem trading, outros falam que usam mineração de Bitcoins. Em alguns casos inventam uma criptomoeda que não tem valor no mercado ou que não existe.

Os novos Esquemas Ponzi ou Esquemas em Pirâmide estão se aproveitando de algumas das vantagens do Bitcoin, como o anonimato, para enganar as vítimas e promovendo fraudes. Torna-se muito mais difícil para as autoridades e a probabilidade das vítimas recuperarem o dinheiro é nula.

Devido ao sucesso do Bitcoin nos últimos anos, além da possibilidade de usar para comprar praticamente qualquer coisa, ele está sendo amplamente usado por investidores para obter lucros com sua valorização. Cada Bitcoin vale uma pequena fortuna e por isso, facilitando atrair vítimas em esquemas de fique rico rápido, interessadas em ganhar dinheiro online a qualquer custo, mesmo sabendo que estarão prejudicando outras pessoas.

O Bitcoin NÂO É FRAUDE, é uma criptomoeda reconhecida por vários países. No entanto, prometer duplicar ou triplicar o dinheiro, sem haver uma maneira real de conseguir isso, pode ser uma possível fraude.

A Mineração de Bitcoin também NÃO É FRAUDE, trata-se de uma atividade legal e muito lucrativa, principalmente em países aonde a energia elétrica é barata como na China, Irlanda e no Paraguai. Já no Brasil, fazer mineração de criptomoedas como o Bitcoin não é tão vantajoso e lucrativo, o alto custo da energia elétrica e as altas taxas de impostos sobre os equipamentos de mineração tornam a atividade inviável em nosso país.

Para aproveitar a oportunidade de mineração de Bitcoin, brasileiros estão montando FARMS (fazendas de mineração) de criptomoedas no Paraguai, aonde a atividade é bastante lucrativa e incentivada pelo governo local. Veja no vídeo abaixo:

Ver no YouTube https://youtu.be/rOpC08-Aams

Para expandir os seus negócios as Mineradora de Bitcoin vendem contratos de mineração. Esses contratos de mineração são locação de máquinas ou fração (Mineração Compartilhada) de HASH POWER (poder de mineração), que geram lucros minerando vários tipos de criptomoedas. Após um determinado período, o investidor recebe o rendimento dessa mineração, pagando somente uma taxa de manutenção do equipamento e energia elétrica consumida.

Os contratos de mineração são muito lucrativo para as Mineradoras de Bitcoin, pois ao vender um contrato elas já pagam o custo do equipamento e após terminar o contrato o cliente ele pode renovar o mesmo, agora com a máquina já paga os lucros são maiores, sendo assim, uma atividade muito lucrativa ao médio e longo prazo para os donos de Mineradoras de Criptomoedas.

Quando for investir em contratos de Mineração de Bitcoin ou Mineração Compartilhada, sempre busque informação com pessoas conhecidas (amigos de confiança, familiares) que já conhecem o mercado e idoneidade de empresas sérias. Todo o cuidado é pouco, porque atualmente é muito fácil criar uma fraude com Bitcoins, bastam alguns minutos na internet para encontrar vários esquemas.

Documentário NETFLIX: Banco ou Bitcoin (Legendado em Português)

Documentário Netflix: Banco ou Bitcoin 2017
Se você está considerando se deve ou não investir em Bitcoin, o mais importante é começar de maneira correta: buscando informações sobre a tecnologia que deu origem a moeda digital que vai influenciar a economia do século 21.

Quase 1h30 contando tudo, desde a criação até o futuro da moeda que para uns ainda á algo inimaginável, e para outros uma revolução tecnológica e de infra-estrutura financeira.

Banco ou Bitcoin aborda a história do Bitcoin com muitas entrevistas de investidores, programadores/inventores e curiosos sobre a moeda.


Acompanhe mais notícias e novidades sobre o Bitcoin, Ethereum, Altcoins e Blockchain em nossas redes sociais:
https://facebook.com/Minerabits
https://instagram.com/Minerabits
https://twitter.com/Minerabits
https://minerabits.com/youtube

O que é criptomoeda?

Investir mercado Bitcoin e CriptomoedasPara começar, CRIPTOMOEDA, MOEDA VIRTUAL e MOEDA DIGITAL são a mesma coisa?

A resposta é SIM! Esses três termos têm o mesmo significado e estamos falando da “mesma coisa”. O primeiro refere-se à criptografia, enquanto as expressões “digital” e “virtual” são devido ao caráter intangível e abstrato do dinheiro online.

A criptomoeda é um código virtual que pode ser convertido em valores reais. Sua negociação se dá pela internet, sem burocracias, sem intermediários, caracterizada pela ausência de um sistema monetário regulamentado e da submissão a uma autoridade financeira (por exemplo, o Banco Central do Brasil).

A cotação, compra e venda acontece anonimamente pela internet. A moeda digital é armazenada em uma carteira (também conhecida como Wallet) e administrada em um computador pessoal ou dispositivo móvel.

A inovação tecnológica por trás da criptomoeda é conhecida como blockchain ou “protocolo da confiança”. Consiste em bases de registros e dados compartilhados, tendo como principal medida de segurança a descentralização. A tecnologia blockchain é uma espécie de livro-razão, totalmente público e compartilhado. A ausência da mediação de terceiros cria o senso de confiança na comunicação direta entre as partes da transação.

A utilidade e função das criptomoedas é a mesma do dinheiro em espécie. Você pode fazer transações de compra e venda de bens e serviços utilizando como meio de pagamento uma criptomoeda. Grandes empresas, como WordPress, DELL e Soundcloud, já aceitam pagamento com criptomoeda.

Principais Criptomoedas

Bitcoin

Considerada a primeira moeda digital (Criptomoeda) descentralizada do mundo, foi apresentada em 2008 por um programador de pseudônimo Satoshi Nakamoto. No Japão é oficialmente um meio de pagamento, assim como dinheiro e cartão de crédito, aceito por mais de 260 mil estabelecimentos.

Litecoin

Conhecido como uma Altcoin (moeda alternativa), tem as mesmas características do Bitcoin, porém com transações mais rápidas, menosres taxas e mais acessível. A tendência é de um maior crescimento graças à familiaridade com o bitcoin.

Ethereum

Foi apresentada em 2014 por Vitalik Buterin. É muito mais que uma moeda digital, é uma plataforma descentralizada capaz de executar contratos inteligentes e aplicações descentralizadas usando a tecnologia blockchain: São aplicações que funcionam exatamente como programadas sem qualquer possibilidade de censura, fraude ou interferência de terceiros, isso porque o contrato é imutável. Hoje é a segunda maior criptomoeda do mundo.

Ripple

Também conhecido como XRP, é um pouco diferente das outras criptomoedas, pois traduz tanto uma moeda digital quanto uma rede de pagamento aberta, com menores taxas e atrasos de processamento. Atualmente, devido a sua tecnologia, está sendo usada por vários bancos para agilizar, dar mais segurança e rapidez nas transações bancárias.

Monero

Usa o código aberto CrytoNote, codificado a partir do zero. Entre suas características estão os pagamentos e transações anônimas. A diferença básica entre ela e o bitcoin é que ela cria um endereço único para cada transação, adotando uma senha privada que possibilita que as informações completas do processo sejam vistas apenas pela pessoa que recebeu o depósito ou por quem possuir a senha.

Dash

Operações com essa moeda têm confirmação praticamente instantânea, pela rede Masternodes (diferente do bitcoin). E é essa rede que permite que as transações sejam anônimas, caracterizando a dash pela privacidade dos seus usuários.

Como adquirir moedas virtuais

O primeiro passo para comprar ou vender criptomoedas é se cadastrar em plataformas específicas de compras (Exchanges), como a CoinBR, e para realizar a compra da moeda, você precisa ter saldo em reais. Após realizar o cadastro, basta seguir as instruções para depositar Reais e depois trocar/comprar por Bitcoins ou outras criptomoedas!

As criptomoedas prometem uma revolução no mercado e economia mundial no século XXI, o que de fato já está ocorrendo, mas é um mercado ainda em desenvolvimento e disponível para poucos, pois exige um estudo sobre a tecnologia e também intimidade mais avançada com tecnologia.

Tem alguma dúvida sobre moedas digitais/criptomoedas? Deixe seu comentários!

O que é mineração de Bitcoin?

A cada minuto milhares de pessoas enviam Bitcoins umas para as outras, e para manter um registro de todas essas transações e também fazer um controle de quem pagou o quê, exite uma atividade chamada de Mineração de criptomoedas. Essa mineração consiste em recolher informação sobre todas as transações feitas durante um período de tempo e gravar em uma lista, chamada bloco. Todos os blocos gerados ficam gravados em um local público chamado “blockchain“. Através do site blockchain.info você pode acompanhar as milhares de transações realizadas a cada minuto.

Mineração de Bitcoin e outras criptomoedas

Como é feita essa mineração?

O processo de mineração de Bitcoin e também de outras Criptomoedas consiste em tentar decifrar códigos com valores criptografados emitidos através de um software específico. Essa processamento de dados são sequências de bits geradas pelo algoritmo do programa, sendo chamados de “hashs”. Envolvem equações matemáticas altamente complexas.

A mineração de Bitcoins é feita por máquinas (computadores) conectados em uma rede mundial. Após conectado, o computador do usuário une a um grupo de mineradores para aumentar a capacidade de processamento de dados. Essa rede possibilita que o Bitcoin não dependa de uma estrutura centralizada para a realização das transações. Os usuários que realizarem a mineração serão recompensado com criptomoedas.

Há alguns anos, era possível minerar Bitcoins e outras criptomoedas utilizando um computador doméstico. Mas, como o sistema se adapta automaticamente para continuar gerando uma certa quantidade de Bitcoins independente de quantos mineradores existam, isso não é mais possível. Atualmente a mineração é lucrativa somente para grandes servidores com máquinas dedicadas, desenhadas exclusivamente para essa função. Minerar com casa ainda é possível, mas o gasto em energia e equipamentos será superior aos rendimentos de frações de Bitcoin recebidas.

Tipos de mineração

Mineração com CPU

As versões iniciais do software do Bitcoin permitiam aos usuários usarem suas próprias CPUs (processador de computador) para minerar. Atualmente esse tipo de mineração é inviável. Em um PC de última geração pode computar 20 milhões de hashes por segundo (MH/s). Com essa velocidade seriam necessários centenas de milhares de anos em média, para encontrar um bloco nos dias atuais.

Mineração com GPU

A mineração com GPU (placas de vídeo) é drasticamente mais rápida e mais eficiente que a mineração com CPU (processador). Em uma comparação rápida, enquanto uma CPU pode executar 4 instruções de 32 bits por clock uma GPU pode executar 3200 destas operações ao mesmo tempo. Placas gráficas de alto desempenho podem calcular algo em torno de 200 milhões de hashes por segundo (MH/s), uma eficiência muito maior do que seria com o uso de CPU. Porém mesmo com essa melhoria de performance, ainda seriam necessários mais de 300 anos em média para encontrar um bloco.

Mineração profissional

Atualmente a mineração mudou de algo feito individualmente para data centers de mineração profissionais. Detalhes exatos sobre como esses centros funcionam não são tão bem conhecidos porque as empresas querem proteger seus equipamentos para manter uma vantagem na competição com outras empresas. Quando escolher onde instalar um centro de mineração, existem três fatores a serem considerados: clima, custo da eletricidade e posição na rede bitcoin. Desta forma, você precisa de um clima frio para resfriar seu equipamento de forma a diminuir os custos de refrigeração. Você precisa de baixo custo de eletricidade, e você precisa estar bem conectado a outros nós da rede peer-to-peer do Bitcoin de forma que você possa “escutar” rapidamente novos blocos quando eles são anunciados. Georgia, nos Estados Unidos e Islândia tem se tornado destinos populares para instalações de grandes centros de mineração de Bitcoin.

Mineração em nuvem (Cloud Mining)

A mineração de Bitcoin em nuvens permite que as pessoas possam ganhar bitcoins sem hardware de mineração, sem software de mineração, sem gastos com eletricidade e etc.
Mineração de Bitcoin em nuvens, ou Cloud Mining, permite aos usuários comprarem poder de mineração de hardware através de contratos. Ou seja, você aluga o serviço de mineração de empresas que possuem os equipamentos necessários para minerar Bitcoin. O resultado desse contrato você recebe em troca os Bitcoins gerados pelo poder de mineração contratado.

As Principais Empresas de Cloud Mining:
Genesis Mining
A Genesis Mining, de acordo com seu site, é uma maneira fácil e segura de comprar energia de hash sem ter que lidar com o complexo hardware e software configurado. A Genesis Mining é especializada na construção de plataformas de mineração mais eficientes e confiáveis. Tudo o que você precisa fazer é registrar uma conta com eles para iniciar a mineração. Depois de se inscrever, compre poder de mineração via Bitcoin, PayPal. Para ganhar um desconto de 3% utilize o código nlXe9g

Hashflare
Seu objetivo é tornar a mineração acessível a todos os usuários, independentemente da idade, localização, investimento, experiência técnica ou experiência. Eles querem dar aos clientes a oportunidade de experimentar a mineração e ganhar Bitcoin como uma recompensa. Em grande escala, eles esperam contribuir para o desenvolvimento de serviços de mineração e posteriormente para o desenvolvimento, estabelecimento e adoção do Bitcoin tanto como moeda quanto como sistema econômico.

Eobot
É possível começar a minerar Bitcoin a partir de 10 dólares usando o Paypal. A Eobot afirma que seus clientes podem recuperar o investimento em 14 meses de mineração.

Mineração Compartilhada (modelo mais rentável atualmente)

Quando um grupo de pessoas se unem (cooperados) para comprar maquinas de mineração de criptomoedas no atacado direto do fabricante, aproveitando a cadeia de clientes e fornecedores já existentes e compartilha os lucros usando a economia colaborativa. Muitas Farms (local onde ficam as maquinas minerando) ao redor do mundo possuem estrutura ociosa (sobrando) e oferecem esse espaço excedente e mão de obra qualificada para fazerem a manutenção dos equipamentos de terceiros. Esse grupo de cooperados então compra as máquinas em conjunto, paga uma taxa de manutenção (energia elétrica e mão de obra) para a mineradora, e todos os lucros/criptomoedas gerados pelas máquinas são distribuídos entre os cooperados.
Nesta modalidade de negócios você recebe mais que a média de mercado porem com um limite de lucros estipulado e prazo pré-determinado de no máximo 16 meses. Poderá renovar seu contrato e continuar a lucrar sempre.
A principal vantagem desse tipo de mineração é que você não necessita conhecimentos técnicos, e pode começar com um pequeno investimento e ir aumentando conforme for recebendo os lucros da mineração.

Para saber mais sobre mineração compartilhada de criptomoedas e o passo a passo para começar a investir, entre em contato para receber o material gratuito.

O que é Bitcoin?

Bitcoin

Bitcoin é uma moeda assim como o real ou o dólar, mas o seu funcionamento e conceito são um pouco diferente do dinheiro tradicional. A primeira diferença é que o Bitcoin não existe fisicamente, isso mesmo, você não pode tocar em um BITCOIN como em uma cédula ou moeda física, pois é totalmente virtual.

Outra diferença é que sua emissão não é controlada por Bancos Centrais e não pertence a nenhum país. Ela é produzida de forma descentralizada por milhares de computadores conectados na internet, mantidos por pessoas que “VENDEM” o poder de processamento de suas máquinas para criar bitcoins e registrar todas as transações feitas na rede.

O processo de criação de uma bitcoin é chamado de “MINERAÇÃO”, aonde computadores conectados à rede realizam uma competição entre si na resolução de problemas matemáticos. O computador (máquina) ou grupo de computadores que resolver o problema matemático primeiro, recebe um bloco (fatia) da moeda.

Além da mineração, é possível comprar bitcoins em corretoras (Exchanges) específicas ou aceitando a criptomoeda ao vender produtos e serviços.

O valor da Bitcoin segue as regras de mercado, ou seja, quanto maior a demanda (procura), maior a cotação. Historicamente, a moeda virtual apresenta alta volatilidade, seu valor de mercado sobe e desce com muita frequência, e seu valor também oscila muito.

Nos últimos anos o interesse pela bitcoin explodiu e a moeda passou a ser um dos investimentos mais comentados do planeta. Em 2017, a moeda digital valorizou 1400% e atingiu a maior cotação da história: 19,3 mil dólares.

Agora, para entender um pouco mais, assista um vídeo explicando como surgiu a Bitcoin, como usar, como investir e como fazer mineração de criptomoedas:

Bitcoin é a tecnologia mais relevante sendo produzida na internet hoje. E está apenas no começo.
Saber mais:
Vídeo de palestra no TEDxUSP com Rodrigo Batista
Clique aqui para saber como anda o mercado de bitcoins no Brasil
Melhor matéria já escrita em português com o título Tudo sobre o Bitcoin
Site oficial do Bitcoin