Bitcoin tem lastro?

Ganhe Bitcoin

Lastro do Bitcoin comparada com moedas governamentais e ouro

Uma das piores críticas sobre o Bitcoin é quando afirmam que ele é desprovido de lastro. Será isso um problema? Isso está correto?

O lastro do Bitcoin é baseada em 5 partes que são:
1° Sua tecnologia exclusiva;
2° Sua segurança;
3° Usabilidade (quanto mais fácil e comum for para usar melhor);
4° Sua descentralização (não há um Governo ou órgão central como o Banco Central que pode inflacionar, mexer no câmbio, etc… segue a lei do livre mercado, oferta e demanda);
5° Confiança dos usuários na criptomoeda.

Segue um vídeo do Fernando Ulrich, um dos mais competentes profissionais de economia e referências mundial no assunto criptomoedas, falando sobre o lastro do Bitcoin:

Link do vídeo no Youtube https://youtu.be/EQzZYA980nA

OBS: Você pode fazer essa mesma pergunta sobre lastro para a moeda fiduciária que é garantida pelo Estado, e conhecendo a índole de nossos governantes, não só do Brasil, mas do mundo. Será que você não deveria estar mais preocupado com o REAL, DOLAR, EURO, etc… do que com o BITCOIN?

A queda na confiança nas moedas “fiat” (moedas emitidas pelos governos) está aumentando a adoção das criptomoedas. O Bitcoin, por exemplo, tem sido considerado como uma moeda digital que ganhará força quando o dinheiro emitido pelo governo falhar.

O lastro de uma moeda estatal não assegura que ele é boa, apenas garante que ela possui aceitação no mercado. Sendo assim, o lastro de uma moeda, seja ela física ou digital se baseia na confiança e aceitação no mercado – veja novamente as 5 bases do bitcoin citadas acima e compara com as moedas dos governos. Agora tente responder: qual moeda tem lastro?

O FMI acredita no uso das criptomoedas em larga escala

Ganhe Bitcoin

Bitcoin e mercado de criptomoedas

Christine Lagarde, diretora do FMI, postou recentemente no site oficial da organização para tratar sobre criptomoedas. Ela reafirma o que já evidenciou no passado: os benefícios dos criptoativos para a economia global. Ao mesmo tempo, Christine entende que é preciso olhar para o “lado negro” dos criptoativos e realizar ações para o combate de fraudes e lavagem de dinheiro.

Nos últimos tempo, a visão do FMI vem mudando e a instituição entende que as criptomoedas não oferecem grandes riscos à economia no estágio atual e que os governos devem trabalhar em ferramentas regulatórias que permitam o desenvolvimento saudável desse ecossistema.

Em pronunciamentos que ela realizou anteriormente disse que “olhou para o lado sombrio dos ativos de criptografia, incluindo seu uso potencial para lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo”, agora Lagarde passou a dizer:
“Eu quero examinar a promessa que eles (cryptocurrencies) oferecem. Um olhar criterioso sobre os recursos de criptografia não deve nos levar a nenhuma condenação por criptografia nem a uma criptografia de euforia.

Ela reconheceu as muitas criptomoedas em circulação e disse: “parece inevitável que muitos não sobrevivam ao processo de destruição criativa”. Segundo Coinmarketcap, existem atualmente 1.568 criptomoedas.

“Os ativos criptográficos que sobrevivem podem ter um impacto significativo na forma como economizamos, investimos e pagamos nossas contas”, acredita a diretora do FMI. “É por isso que os formuladores de políticas devem manter a mente aberta e trabalhar em direção a uma estrutura regulatória imparcial que minimize os riscos e, ao mesmo tempo, permita que o processo criativo dê frutos”.

O primeiro benefício que Lagarde apontou

Os ativos de criptografia permitem transações financeiras rápidas e baratas, enquanto oferecem algumas das conveniências do dinheiro.
Ela enfatizou que “alguns serviços de pagamento agora fazem transferências internacionais em questão de horas, não dias”, acrescentando que “se os ativos criptográficos emitidos de forma privada permanecerem arriscados e instáveis, pode haver demanda para os bancos centrais fornecerem formas digitais de dinheiro”.

Nenhum perigo imediato

Sobre a estabilidade financeira, Lagarde revelou: “Nossa avaliação preliminar é que, dada a sua pegada ainda pequena e ligações limitadas com o resto do sistema financeiro, os ativos criptográficos não representam um perigo imediato”. No entanto, a chefe do FMI pede reguladores. manter-se vigilante quanto ao potencial das criptomoedas “para ampliar os riscos de negociação altamente alavancada e para aumentar a transmissão de choques econômicos, caso eles se tornem mais integrados aos produtos financeiros tradicionais”. Ela também descreveu:

Além disso, os bancos e outras instituições financeiras enfrentarão desafios para seus modelos de negócios, caso haja uma mudança em grande escala das moedas emitidas pelo governo para ativos de criptografia. Os reguladores podem achar mais difícil garantir a estabilidade de um sistema financeiro mais difuso e descentralizado. Os bancos centrais podem ter mais dificuldade em atuar como emprestador de última instância em caso de crise.

Fonte: news.bitcoin.com

Livro: CriptoMoedas, melhor que Dinheiro!

Ganhe Bitcoin

Livro: Criptomoedas melhor que dinheiro!A grande valorização de algumas moedas digitais ativou a curiosidade de pessoas que até então não sabiam que era possível investir em criptomoedas.

Aos poucos a mídia em geral está divulgando e incentivando o interesse das pessoas pelo tema, mas inda percebemos que a falta de conhecimento sobre quais são as oportunidades existem com as criptomoedas.

Se você ainda tem dúvidas ou possui alguma resistência à essa inovação, prepare-se para aprender tudo e se surpreender com o livro “Criptomoedas – Melhor que Dinheiro

O livro é uma leitura fácil, aonde especialistas de criptomoedas da Empiricus trazem informações para você sair do senso comum e ir em busca do que realmente é essa tecnologia disruptiva.

Acredite, você vai ter que rever todos os conceitos formulados até agora a respeito do assunto, pois ao longo das páginas, você entenderá como surgiram as moedas digitais e o que de fato elas representam na sociedade atual.

O objetivo do livro prepará-lo para tomar decisões seguras e mais embasadas em relação ao que já se provou ser um dos investimentos de maior potencial lucrativo do mercado financeiro.

Quais os assuntos do livro?

Você entenderá o sucesso das moedas digitais e também verá que no longo prazo quais são as outras classes de ativos em criptomoedas que podem assumir papéis muito além do mercado financeiro.

Além disso esses assuntos são abordados no livro:

  • Como melhor selecionar os ativos antes de comprá-los;
  • Por que moeda digital é melhor que dinheiro;
  • Blockchain: a tecnologia disruptiva que vai mudar o mundo;
  • Além do dinheiro: o universo das outras criptomoedas;
  • Seu guia prático: como comprar e estratégias de investimento em criptomoedas.

Esse é o primeiro livro brasileiro de Criptomoedas, elaborado por especialistas e analistas André Franco e Vinícius Bazan da Empiricus.

Para adquirir seu exemplar, você só precisará arcar com o valor R$ 9,90 para as despesas de envio até sua casa.

Esta é uma obra exclusiva da Empiricus, não comercializada em nenhuma livraria.

Empiricus Research
Empiricus é uma casa independente de análise e consultoria de investimentos. Fornecemos recomendações amparadas em estudos financeiros e econômicos, privilegiando a linguagem simples e direta.

coinBR agora é Stratum

Ganhe Bitcoin

Stratum CoinBR - Exchange para comprar e vender Bitcoin no BrasilEm 2018 a coinBR realizou a fusão junto à Stratum, um fundo de venture capital com sede em Hong Kong. A mudança visa ampliar internacionalmente os serviços prestados pela empresa.

A partir da noite desta terça-feira (3), o site da coinBR terá outro domínio, a plataforma coinbr.io & coinbr.net será migrado para stratum.hk.

Portanto, todos os acessos aos links coinBR serão redirecionados para o nosso novo domínio.

Não se preocupe! A SmartWallet, assim como demais funcionalidades, continuarão operando da mesma forma. A mudança é somente no endereço.

Fique atento: em breve serão lançadas mais novidades!

O que é Ethereum?

Ganhe Bitcoin

Logotipo Ethereum

Ethereum é uma plataforma descentralizada para rodar contratos inteligentes. Em outras palavras, é um software que utiliza um protocolo peer to peer e blockchain para registrar suas transações. Ao usar o blockchain, ele garante que as transações são únicas, imutáveis e que vão estar em uma rede de servidores distribuídos.

Cada servidor, pode ser até mesmo o seu computador, armazena os informações em um banco de dados guardando os registros em máquinas distribuídas no mundo todo.

Você já deve ter ouvido de Bitcoin, certo? O Bitcoin é conhecido como uma moeda virtual, mas também é uma arquitetura de software P2P (peer to peer). Sua arquitetura é complexa e incrível, mas vou tentar explicar de maneira simples para facilitar as coisas. Imagine que ao instalar o software do Bitcoin ele vai buscar na Internet outra instalação para que ele possa atualizar os dados.

Esses dados são os registros que foram realizados, e a isso chamamos de livro registro ou cadeia de blocos (Blockchain). Então, assim que ele encontra outra instalação confiável, ele começa a fazer o download dos blocos para o local da instalação – nesse caso, sua máquina.

Mas o que são esses dados no Blockchain? São transações únicas e imutáveis realizadas entre endereços na Internet, e essas transações, no caso do Bitcoin, têm a representação de uma moeda – pelo menos foi isto que os criadores desejaram ser na sua criação: uma plataforma para envio de dinheiro sem intermediadores, ou seja, descentralizada.

E desde a sua criação, o Bitcoin vem se mostrando como uma aplicação à prova de fraudes, não existe nenhum registro de violação dos dados armazenados no Blockchain. No white paper a seguir, isso fica mais claro, já que a forma como sua arquitetura foi desenhada dificulta que os dados sejam violados.

E durante a evolução do Bitcoin, surgiu o Ethereum, uma plataforma com a arquitetura base do Bitcoin, mas com algumas funcionalidades extras, e a principal delas é a capacidade de interpretar regras de negócios e transformá-las em transações no Blockchain.

Com o Ethereum é possível classes com regras definidas em uma base de dados que não pode ser alterada em uma rede distribuída. Ou seja, aquilo que foi escrito não pode ser mais alterado uma vez armazenado. Podemos criar soluções nas quais não existe a intermediação de humanos. Sendo assim, o Ethereum possibilitou a tokenização de outros ativos além de uma moeda. Pensem que agora podemos digitalizar em uma rede distribuída e garantir a unicidade de uma música, imóvel, ações de uma empresa, contratos, livros, etc.

Como funciona o Blockchain do Ethereum e quais as diferenças e vantagens em relação ao Bitcoin?

Bitcoin e Ethereum são plataformas que rodam um protocolo peer to peer e também armazenam os dados em um Blockchain. A principal diferença é que o Ethereum utiliza a EVM, possibilitando a criação de transações baseadas em regras de negócios, que chamamos de Smart Contracts. Enquanto o Bitcoin foi criado para ser uma moeda, o Ethereum foi criado para poder digitalizar qualquer ativo, como um automóvel, casa, empresa, um contrato de prestação de serviços etc.

O que é O Ether?

O Ether é o token que roda na rede Ethereum. Tudo que é executado na rede é pago através de Ether, e o nome que foi dado a essa taxa é Gas. É através desse gas que mantemos a rede rodando, e é isso que incentiva que outras pessoas possam processar nossas transações em suas máquinas para que elas se tornem válidas no Blockchain.

Inovação do Ethereum

Anos atrás, o próprio Bitcoin era visto como uma moeda para meios ilegais, e hoje percebemos a quantidade de benefícios que não só ele, mas a tecnologia pode nos fornecer. Nosso papel agora é pensar em aplicações nas quais todos possam ganhar de forma justa e transparente, em um novo mundo mais horizontal e com menos corrupção, no qual os poderes possam ser descentralizados.

Estamos em um novo momento para criar as mesmas ferramentas existentes, mas em uma arquitetura Blockchain. Exemplos disso são o arcade.city, que é o “Uber”, e também a paratii.video, que é novo “YouTube” – ambos são aplicações descentralizadas.

Por que não criar seguros, bancos, companhias de músicas, reservas de hospedagens, doações, logísticas, registro de imóveis, músicas, livros etc.? Ou seja, estamos presenciando uma nova oportunidade de criar novos produtos em uma nova Internet de valor que é o Blockchain.

Boa sorte no mundo das Criptomoedas e do Blockchain!

Comparador de Preços de Bitcoin entre Exchanges

Ganhe Bitcoin

Comprar e Venda de Bitcoin no Brasil

Se você quiser Comprar Bitcoin vai perceber que o valor para compra é diferente entre as Corretoras (Exchanges). Essa diferença de preços de cotação de Bitcoin é meio óbvia e simples: Livre Mercado. Cada corretora pode cobrar taxas para fazer a conversão de Reais para Bitcoin, assim como converter Reais para Dólar em casas de câmbio.

Para ajudar os investidores o site Biscoint.io criou uma ferramenta para encontrar o melhor preço de Bitcoin em Brasil. A comparação é feita em tempo real, listando os melhores preços efetivos nas maiores corretoras de Bitcoin de Brasil, considerando as taxas.

Para acessar o comparado de preços de Bitcoin acesse o link https://biscoint.io

No site você pode pesquisar os preços para Vender Bitcoin e também para Comprar Bitcoin.

Dica: Um bom site que mostra o volume de negociação e preço do Bitcoin em cada uma das corretoras é o bitValorhttp://bitvalor.com e também pode ser usado com fonte de informação.