O que é Ethereum?

Logotipo Ethereum

Ethereum é uma plataforma descentralizada para rodar contratos inteligentes. Em outras palavras, é um software que utiliza um protocolo peer to peer e blockchain para registrar suas transações. Ao usar o blockchain, ele garante que as transações são únicas, imutáveis e que vão estar em uma rede de servidores distribuídos.

Cada servidor, pode ser até mesmo o seu computador, armazena os informações em um banco de dados guardando os registros em máquinas distribuídas no mundo todo.

Você já deve ter ouvido de Bitcoin, certo? O Bitcoin é conhecido como uma moeda virtual, mas também é uma arquitetura de software P2P (peer to peer). Sua arquitetura é complexa e incrível, mas vou tentar explicar de maneira simples para facilitar as coisas. Imagine que ao instalar o software do Bitcoin ele vai buscar na Internet outra instalação para que ele possa atualizar os dados.

Esses dados são os registros que foram realizados, e a isso chamamos de livro registro ou cadeia de blocos (Blockchain). Então, assim que ele encontra outra instalação confiável, ele começa a fazer o download dos blocos para o local da instalação – nesse caso, sua máquina.

Mas o que são esses dados no Blockchain? São transações únicas e imutáveis realizadas entre endereços na Internet, e essas transações, no caso do Bitcoin, têm a representação de uma moeda – pelo menos foi isto que os criadores desejaram ser na sua criação: uma plataforma para envio de dinheiro sem intermediadores, ou seja, descentralizada.

E desde a sua criação, o Bitcoin vem se mostrando como uma aplicação à prova de fraudes, não existe nenhum registro de violação dos dados armazenados no Blockchain. No white paper a seguir, isso fica mais claro, já que a forma como sua arquitetura foi desenhada dificulta que os dados sejam violados.

E durante a evolução do Bitcoin, surgiu o Ethereum, uma plataforma com a arquitetura base do Bitcoin, mas com algumas funcionalidades extras, e a principal delas é a capacidade de interpretar regras de negócios e transformá-las em transações no Blockchain.

Com o Ethereum é possível classes com regras definidas em uma base de dados que não pode ser alterada em uma rede distribuída. Ou seja, aquilo que foi escrito não pode ser mais alterado uma vez armazenado. Podemos criar soluções nas quais não existe a intermediação de humanos. Sendo assim, o Ethereum possibilitou a tokenização de outros ativos além de uma moeda. Pensem que agora podemos digitalizar em uma rede distribuída e garantir a unicidade de uma música, imóvel, ações de uma empresa, contratos, livros, etc.

Como funciona o Blockchain do Ethereum e quais as diferenças e vantagens em relação ao Bitcoin?

Bitcoin e Ethereum são plataformas que rodam um protocolo peer to peer e também armazenam os dados em um Blockchain. A principal diferença é que o Ethereum utiliza a EVM, possibilitando a criação de transações baseadas em regras de negócios, que chamamos de Smart Contracts. Enquanto o Bitcoin foi criado para ser uma moeda, o Ethereum foi criado para poder digitalizar qualquer ativo, como um automóvel, casa, empresa, um contrato de prestação de serviços etc.

O que é O Ether?

O Ether é o token que roda na rede Ethereum. Tudo que é executado na rede é pago através de Ether, e o nome que foi dado a essa taxa é Gas. É através desse gas que mantemos a rede rodando, e é isso que incentiva que outras pessoas possam processar nossas transações em suas máquinas para que elas se tornem válidas no Blockchain.

Inovação do Ethereum

Anos atrás, o próprio Bitcoin era visto como uma moeda para meios ilegais, e hoje percebemos a quantidade de benefícios que não só ele, mas a tecnologia pode nos fornecer. Nosso papel agora é pensar em aplicações nas quais todos possam ganhar de forma justa e transparente, em um novo mundo mais horizontal e com menos corrupção, no qual os poderes possam ser descentralizados.

Estamos em um novo momento para criar as mesmas ferramentas existentes, mas em uma arquitetura Blockchain. Exemplos disso são o arcade.city, que é o “Uber”, e também a paratii.video, que é novo “YouTube” – ambos são aplicações descentralizadas.

Por que não criar seguros, bancos, companhias de músicas, reservas de hospedagens, doações, logísticas, registro de imóveis, músicas, livros etc.? Ou seja, estamos presenciando uma nova oportunidade de criar novos produtos em uma nova Internet de valor que é o Blockchain.

Boa sorte no mundo das Criptomoedas e do Blockchain!

O que é criptomoeda?

Investir mercado Bitcoin e CriptomoedasPara começar, CRIPTOMOEDA, MOEDA VIRTUAL e MOEDA DIGITAL são a mesma coisa?

A resposta é SIM! Esses três termos têm o mesmo significado e estamos falando da “mesma coisa”. O primeiro refere-se à criptografia, enquanto as expressões “digital” e “virtual” são devido ao caráter intangível e abstrato do dinheiro online.

A criptomoeda é um código virtual que pode ser convertido em valores reais. Sua negociação se dá pela internet, sem burocracias, sem intermediários, caracterizada pela ausência de um sistema monetário regulamentado e da submissão a uma autoridade financeira (por exemplo, o Banco Central do Brasil).

A cotação, compra e venda acontece anonimamente pela internet. A moeda digital é armazenada em uma carteira (também conhecida como Wallet) e administrada em um computador pessoal ou dispositivo móvel.

A inovação tecnológica por trás da criptomoeda é conhecida como blockchain ou “protocolo da confiança”. Consiste em bases de registros e dados compartilhados, tendo como principal medida de segurança a descentralização. A tecnologia blockchain é uma espécie de livro-razão, totalmente público e compartilhado. A ausência da mediação de terceiros cria o senso de confiança na comunicação direta entre as partes da transação.

A utilidade e função das criptomoedas é a mesma do dinheiro em espécie. Você pode fazer transações de compra e venda de bens e serviços utilizando como meio de pagamento uma criptomoeda. Grandes empresas, como WordPress, DELL e Soundcloud, já aceitam pagamento com criptomoeda.

Principais Criptomoedas

Bitcoin

Considerada a primeira moeda digital (Criptomoeda) descentralizada do mundo, foi apresentada em 2008 por um programador de pseudônimo Satoshi Nakamoto. No Japão é oficialmente um meio de pagamento, assim como dinheiro e cartão de crédito, aceito por mais de 260 mil estabelecimentos.

Litecoin

Conhecido como uma Altcoin (moeda alternativa), tem as mesmas características do Bitcoin, porém com transações mais rápidas, menosres taxas e mais acessível. A tendência é de um maior crescimento graças à familiaridade com o bitcoin.

Ethereum

Foi apresentada em 2014 por Vitalik Buterin. É muito mais que uma moeda digital, é uma plataforma descentralizada capaz de executar contratos inteligentes e aplicações descentralizadas usando a tecnologia blockchain: São aplicações que funcionam exatamente como programadas sem qualquer possibilidade de censura, fraude ou interferência de terceiros, isso porque o contrato é imutável. Hoje é a segunda maior criptomoeda do mundo.

Ripple

Também conhecido como XRP, é um pouco diferente das outras criptomoedas, pois traduz tanto uma moeda digital quanto uma rede de pagamento aberta, com menores taxas e atrasos de processamento. Atualmente, devido a sua tecnologia, está sendo usada por vários bancos para agilizar, dar mais segurança e rapidez nas transações bancárias.

Monero

Usa o código aberto CrytoNote, codificado a partir do zero. Entre suas características estão os pagamentos e transações anônimas. A diferença básica entre ela e o bitcoin é que ela cria um endereço único para cada transação, adotando uma senha privada que possibilita que as informações completas do processo sejam vistas apenas pela pessoa que recebeu o depósito ou por quem possuir a senha.

Dash

Operações com essa moeda têm confirmação praticamente instantânea, pela rede Masternodes (diferente do bitcoin). E é essa rede que permite que as transações sejam anônimas, caracterizando a dash pela privacidade dos seus usuários.

Como adquirir moedas virtuais

O primeiro passo para comprar ou vender criptomoedas é se cadastrar em plataformas específicas de compras (Exchanges), como a CoinBR, e para realizar a compra da moeda, você precisa ter saldo em reais. Após realizar o cadastro, basta seguir as instruções para depositar Reais e depois trocar/comprar por Bitcoins ou outras criptomoedas!

As criptomoedas prometem uma revolução no mercado e economia mundial no século XXI, o que de fato já está ocorrendo, mas é um mercado ainda em desenvolvimento e disponível para poucos, pois exige um estudo sobre a tecnologia e também intimidade mais avançada com tecnologia.

Tem alguma dúvida sobre moedas digitais/criptomoedas? Deixe seu comentários!